Mertiolate – Cicatrizante e antisséptica, planta trata aftas e gengivites

MERTIOLATE

Conhecido pelo alto poder cicatrizante e antisséptico, o Mertiolate, nome popular da planta Jatrofa Multifida, que é ornamental, tem importantes propriedades medicinais que a fazem ser indicada para cultivo em quintais e jardins.

Usado em medicamentos para uso tópico, higieniza ferimentos e outras lesões superficiais da pele ou da boca, sendo sua principal ação combater as bactérias, evitando infecções.

Pode ser usado na limpeza de cortes, feridas, arranhões, infecções superficiais da pele, umbigo do recém-nascido, pé-de-atleta e unhas encravadas. Também é indicado para uso oral em gengivite, infecção na boca, aftas, prevenção de placa bacteriana e estomatite.

Aplica-se quantidade suficiente do medicamento sobre a área afetada, de 3 a 4 vezes ao dia. Se for necessário, proteger o local com gaze ou outros curativos.

Contra gengivite, enxagua-se a boca com 15 ml da solução de Mertiolate a 0,12%, durante 30 segundos. O procedimento deve ser feito 2 vezes ao dia, após a utilização de fio dental e escovação.

Origem
Ocorre naturalmente no México,  América Central e Brasil. É um exemplar popular na paisagem ao sul da Flórida (EUA). Em Santa Catarina (Brasil) é encontrada apenas como planta cultivada e ornamental.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: coral plant, physic nut
  • Alemão: korallenstrauch

Descrição [1,2]
Arbusto perene ou semi-decíduo, ligeiramente suculento, ou árvore com uma coroa solta e espalhada. Pode crescer até 6 m de altura, embora em cultivo é provável que alcance entre 2 a 3 m.

As flores são muito pequenas de cor vermelho-brilhantes e agrupadas em cachos. A folha tem de 10 a 20 cm de largura, dividida em segmentos ou lóbulos estreitos, afilados, longos e podem ter as extremidades lisas ou dentadas.

Os frutos são amarelos e normalmente contém 3 sementes. Apresenta seiva abundante leitosa ou incolor.

A planta é coletada na natureza como medicamento e fonte de óleo. Foi introduzida como ornamental na região dos trópicos da Europa, mas há muito tempo é cultivada como uma sebe. A inflorescência vermelha tem grande demanda por floristas e confecção de pequenos buquês usados por mulheres na cintura, ombro e pulso.

Uso popular e medicinal [1,2]
O óleo da semente é às vezes usado como catártico (acelera a evacuação de fezes), embora possa causar forte irritação e até intoxicação. O óleo é aplicado internamente e externamente como abortivo.

As sementes são usadas como purgativo e emética (provoca vômito). Seu uso foi quase abandonado na medicina tradicional mexicana, embora conste da Farmacopeia deste país.

O látex é usado externamente no tratamento de feridas infectadas, úlceras, infecções cutâneas e sarna. Na Indonésia um dos nomes locais é iodium (iodo), que reflete o uso popular como remédio para feridas.

Na Indochina as raízes secas são dadas em decocção contra indigestão e cólica. São também prescritas como um tônico para tratar orquite (inflamação dos testículos) e edemas (inchaços).

As folhas contêm saponinas, são usadas como purgativo e no tratamento de disenteria e sarna.

No noroeste do Estado do Paraná (Brasil), onde é conhecida por mertiolate ou bálsamo, tem sido utilizada na cicatrização de feridas. A seiva incolor extraída da folha é aplicada diretamente sobre a lesões. Em alguns casos é ingerida para tratamento de úlceras gastrointestinais.

Um trabalho acadêmico verificou a atividade cicatrizante do exudato das folhas aplicado localmente sobre lesões induzidas em ratos.  Conclui-se que o exudato apresentou uma tendência em acelerar o processo de cicatrização, porém os autores sugerem mais estudos para desvendar o mecanismo de melhora da ação cicatrizante ocasionado pela planta.

  Cuidado
Todas as partes da planta são venenosas. As sementes maduras e secas contêm um óleo perigoso. Overdose pode ser contrabalanceada com um copo de vinho branco. Suco de lima e estimulantes são os melhores antídotos em casos de envenenamento pelas sementes.

O contato da seiva com a pele pode causar dermatite.

 Referências

  1. Useful Tropical Plants: Jatropha multifida – Acesso em 28 de maio de 2017
  2. Revista Brasileira de Farmácia (2008): Verificação da atividade cicatrizante do exudato de folhas de Jatropha multifida – Acesso em 28 de maio de 2017
  3. Image: Courtesy of Jörn Uwe Germer (The Virtual Botanic Garden – Virboga)
  4. The Plant List: Jatropha multifida – Acesso em 28 de maio de 2017