OS BENEFÍCIOS DO GENGIBRE

Imagem

O Zingiber officinalle, comumente conhecido como gengibre, em sânscrito é chamado de Ardrak (fresco) ou Sonth (seco).
No ayurveda é denominado remédio universal devido às suas muitas propriedades terapêuticas. Esta erva medicinal vem sendo utilizada na medicina chinesa e no ayurveda há milhares de anos pelos médicos orientais.

O gengibre apresenta propriedades terapêuticas sobre o sistema digestivo, pois estimula a liberação de enzimas que promovem o esvaziamento do estômago.
Tem sido utilizado com êxito no tratamento de náuseas e vômitos em diversas doenças e é efetivo nos enjoos da quimioterapia. Além disso, estudos demonstraram benefícios em baixar o nível do colesterol e reduzir a aderência às plaquetas.
A raiz do gengibre melhora a circulação e é indicada por médicos chineses e indianos para pés e mãos frias.
A medicina ayurvédica afirma que o gengibre atua nas três fases da função gastrintestinal: digestão, absorção e evacuação.
Na Índia recomenda-se o chá de gengibre em decocção (fervura da raiz) com três gotas de limão e uma pitada de sal marinho 30 minutos antes das refeições para estimular o fogo digestivo, promover uma boa digestão e aliviar flatulência.
Esta planta medicinal possui uma importante ação antiiinflamatória e antirreumática, tanto para uso interno quanto para uso externo.
O suco, pasta ou óleo essencial do gengibre pode ser aplicado externamente para dores, inflamações e cefaleias.
No caso de reumatismo, artrose, contraturas musculares, lombalgia e cervicalgia, podemos fazer uma massagem local associada a fricção com pasta ou óleo essencial de gengibre. Isso promove um efeito de aquecimento local associado a uma analgesia (alívio da dor).

O gengibre possui uma atividade antiviral e anti-inflamatória, sendo largamente utilizado em quadros respiratórios de vias aéreas superiores. Devido às suas propriedades picantes e amornantes, é utilizado para gripes e resfriados no inverno, rouquidão, inflamação da garganta, tosse e secreção.
Um chá de gengibre em decocção (fervura das raízes) com alho, casca de canela e uma uma colher de sopa de mel de eucalipto depois de pronto é eficaz nestes quadros respiratórios. Deve ser tomado morno três vezes ao dia entre as refeições até sumirem os sintomas.
Podemos também utilizar o gengibre na culinária como um excelente condimento, aumentando o sabor picante e a energia quente das receitas vegetarianas.
Com este objetivo, na Índia, o gengibre é associado a outros temperos: pimenta-do-reino, canela, noz-moscada, cravo, cardamomo e alho.
Em uma publicação recente sobre plantas medicinais, “Major Herbs of Ayurveda”, são descritas as seguintes propriedades do gengibre: atividade antiemética (alivia náuseas), atividade antiulcerosa, atividade hepatoprotetora (protege o fígado), atividade anti-inflamatória, atividade antipirética (reduz a febre), atividade cardiovascular (diminui o colesterol e os triglicerIdeos), atividade antioxidante (elimina radicais livres), atividade imunomoduladora (promove o sistema imunológico) e atividade antiviral. Porem é contraindicado na gravidez pelo potencial de induzir a contração uterina.
Com tantas propriedades benéficas, não podemos deixar de utilizar esta raiz tanto como erva medicinal quanto como condimento na alimentação.

ARRUDA – VERDADES E MITOS

Imagem
A arruda é considerada por muitos uma erva mágica e é fortemente usada para diversos tipos de situações, benzedeiras por exemplo a usam muito, e até alguns centros espíritas e outros locais  na parte de cima de portas e quem sabe você já viu alguém com arruda atrás da orelha dizendo que ela  protege contra mal olhados.
Mas ela não serve só pra isso, também tem diversos usos medicinais, podemos fazer chá com ela e também temperos e molhos.
Podemos ver a importância dessa plantinha pela origem de seu  nome Arruda vem de Reuo, que do grego quer dizer “Libertar”, já que eles acreditavam que ela eliminava todos os males.
Aqui vemos um antigo documento grego que fala sobre a Arruda:
“A Arruda, planta cultivada nos átrios dos Templos, consegue com seu “perfume” expelir para longe as ondas negativas das pragas e das serpentes, tanto naturais como espirituais. É de grande proveito que junto ao morto se coloque um saquinho de arrudas secas, pois elas protegerão o morto no seu caminho, evitando que os ferozes cães destruidores do abismo estilhacem o bastão do caminhante. Além disto esta erva, serve para dar claridade ao olhar, deste que passe três noites no sereno da Lua clara”
(In Magia Curativa do médico e mago grego Heristólion (século IV)
Podemos ver que a fama da arruda era grande na Grécia, era comum também mulheres gregas usarem raminhos da planta na orelha para evitar energias negativas.
 Ela é uma planta nativa na Europa, mas hoje existe em todo o mundo, devido aos resultados e efeitos.
Foi usada para espalhar água benta e usada em sessões de limpeza na umbanda.
 Uma pesquisa mostra que a estrutura celular da arruda, é muito parecida com a da epiderme e com a do tecido adiposo, é como se a folha dela e nossa pele fossem um pouco parecidos na estrutura.
Então vamos dizer que ela é compatível com a nossa estrutura bioenergética (aura).
Nossa aura acumula resíduos energéticos, algumas vezes isso causa o efeito que da qual as pessoas acabam por falar que é o famoso “corpo carregado”.
O simples fato de uma pessoa ter contato com a Arruda desfaz esses efeitos negativos, isso é muito bom, já que esse acumulo do que chamamos de “energia negativa” pode trazer problemas futuros para a pessoa.
Por isso as vezes é comum um galho de arruda murchar na mão de uma pessoa e na outra não.
Passando um galho em volta do corpo você acaba por fazer uma grande limpeza energética.
Por isso é indicado ter um pé de Arruda em casa e por isso benzedeiras e outras pessoas costumam utilizar dessa plantinha.