O JULGAMENTO

Imagem
Essa é uma maneira de permanecer o mesmo… Esse é um truque da mente. Ao invés de compreender, a energia começa a se mover para a condenação. A mente é muito esperta: no momento em que você começa a perceber algo em você, a mente salta sobre aquilo e começa a condenar. Agora toda a energia se torna condenação, então a compreensão é esquecida, posta de lado e sua energia se move para a condenação… E condenar não pode ajudar.

Isso pode lhe deixar depressivo, pode lhe deixar com raiva, mas depressivo e com raiva, você nunca muda. Você permanece o mesmo e você se entra no mesmo círculo vicioso nova e repetidamente.

Compreensão é liberação. Assim, quando você vir um certo fato em você, não há nenhuma necessidade de condenar, não há necessidade de se preocupar. A única necessidade é olhar para ele profundamente e compreendê-lo. Olhar para ele, tentar se mover em torno dele, olhando de todos os ângulos… Se você condenar, você não pode olhar, não pode abordá-lo de todos os ângulos. Você já decidiu que aquilo é ruim; sem dar àquilo uma chance, você já julgou.

Escute o fato, penetre-o, contemple-o, durma sobre ele e quanto mais você for capaz de observá-lo, mais você se tornará capaz de sair fora dele. A habilidade de entender e a habilidade de sair fora, são apenas dois nomes para o mesmo fenômeno.

Se compreendo uma certa coisa, sou capaz de sair fora dela, ir além dela. Se não compreendo certa coisa, não posso sair fora dela. 

– Osho –

OFENDENDO-SE

Imagem
As pessoas maduras não se abalam por causa de comentários indelicados de outras pessoas. De vez em quando as pessoas dizem coisas para nos testar e fazem comentários do tipo: “você não trabalha duro!” ou “você come demais!” ou ainda “todo mundo sabe que você casou com ele por dinheiro!”. Às vezes, essas coisas são ditas por inveja, mas com freqüência, são ditas para provocar uma reação. Qualquer que seja o motivo, a melhor maneira de lidar com isso é sorrir e, ou não dizer nada, ou concordar com a pessoa. Assim sendo, da próxima vez que seu vizinho o vir em seu carro novo e disser: “você não trabalha quase nada e, ainda assim, eles lhe pagam uma fortuna!”, simplesmente sorria e responda: “não é maravilhoso?”. Você não tem de explicar nada sobre suas responsabilidades e sobre o tempo que fica “ralando” no trabalho. Não precisa justificar. Apenas sorria e deixe isso para lá.Quando a sua cunhada observar coisas do tipo: “você está sempre tirando férias!”, concorde com ela. Diga: “sim, adoro tirar férias!”. Se o seu primo disser: “puxa, você deve ter gasto uma nota nessa piscina”, sorria e fale: “pode apostar que sim. É que detesto piscinas baratas”! Não se deixe perturbar. Você não vai ganhar nada discutindo com seu primo, sua cunhada, seu vizinho ou com quem quer que seja. Quando encontrar com pessoas assim, concorde com elas de uma maneira gentilmente natural. Se você começar a tentar se defender, estará frito. Em poucas palavras: somente pessoas que “pensam pequeno” fazem comentários desagradáveis; e somente pessoas que também “pensam pequeno” se ofendem. Seja alguém que “pensa grande”.
“Quem é roubado e ainda sorri, acaba levando alguma coisa do ladrão.”(Shakespeare)
Muita Paz
by Hailton Souza.