OS CINCO ATRIBUTOS DO GUERREIRO DA LUZ

o-sentinela-o-guerreiro-da-luz

1 – CONTROLE: É a capacidade de gerir de forma impecável todos os aspectos da sua vida que podem ser controlados, fazendo com que todos os seus planos corram dentro do previsto. Significa antever as situações, afim de diminuir os riscos de ser surpreendido.

2 – DISCIPLINA: É conseguir manter a estratégia que foi traçada, não se desviando do seu propósito e do seu foco, e nem se deixando distrair pela matrix. Significa manter-se firme nas práticas que ele sabe serem fundamentais para sua economia de energia.

3 – PACIÊNCIA: Não confunda com procrastinação. A paciência do guerreiro está estruturada no fato dele saber que está esperando, e saber o que está esperando, e enquanto espera ele se regozija com o mundo a sua volta. O guerreiro impecável sabe que esta dando o seu melhor, e sua espera é uma espera tranquila, de consciência limpa, onde ele apenas aguarda os desígnios do Espírito.

4 – SENSO DE OPORTUNIDADE: É a representação máxima da fluidez do guerreiro. Como vem acumulando energia, seu elo de conexão com o Infinito está mais límpido e claro, e sua intuição mais afiada. Dessa forma, ele consegue “agarrar” seu centímetro cúbico de sorte e sentir a hora certa de agir . Ele está sempre atento aos sinais.

5 – VONTADE: É o intento inflexível do guerreiro. Sua intenção fortalecida, uma vontade férrea e indestrutível que o leva a qualquer lugar e o mantém de pé, mesmo quando tudo parece perdido. A vontade do guerreiro o faz ultrapassar todos os obstáculos e o levar aonde ele nunca imaginou chegar. Seu intento inflexível o impede de desistir, mesmo onde muitos homens caíram e fraquejaram. É a força motriz do guerreiro que o conduz a liberdade.

 

Fonte: http://www.huna.org.br (xamanismo havaiano)

AUTOIMPORTÂNCIA: O DRAGÃO COM 3 MIL CABEÇAS

hidra

Um dos aspectos do nosso caminho que mais nos afeta negativamente e drena uma parte grande da nossa energia é a nossa autoimportância.

Para os xamãs, ela é um dragão de 3 mil cabeças, quase invencível, que parece nunca ter fim.

Gastamos uma quantidade enorme da nossa energia preocupados com o “eu”.

Com o que os outros estão pensando sobre nós, ou sobre o que nós pensamos sobre nós mesmos.

Querendo agradar as pessoas, querendo manter uma imagem social, querendo parecer humilde demais ou “fodão” demais, ficando ofendidos com qualquer coisa, nervosinho com qualquer coisa, decepcionados e magoados com qualquer situação, sendo afetados pelas atitudes dos outros, querendo dar satisfação pra todo mundo de tudo que faz, tendo uma imagem exagerada de nos mesmos totalmente despropositada, querendo nunca decepcionar ninguém, querendo ter sempre razão, querendo mostrar que está bem, querendo provar algo as outras pessoas, querendo ser bonzinho pra ser aceito, querendo ser legal pra receber amor,etc.

Ficamos tão preocupados com nossa imagem social e nosso auto-reflexo, que em algum momento, gastamos toda nossa energia tentando equilibrar esse circo todo que armamos em volta do nosso ego.

Essa é a parte mais macabra e dramática da influência da autoimportância em nossas vidas: você se torna refém das suas loucuras e da loucura dos outros, e gasta toda sua energia numa batalha que não é a sua, ficando preso as correntes invisíveis da sua história pessoal e das expectativas irreais, suas e dos outros.

Você deixa de ser você mesmo e se desconecta da sua essência.

Isso tem que ser resolvido, antes de qualquer empreitada no caminho do conhecimento.

Toda essa energia gasta com nosso auto-reflexo e culto ao “eu” precisa ser redirecionada para fins mais produtivos.

O guerreiro deve batalhar dia-a-dia, momento a momento, para controlar sua autoimportância num primeiro momento, e depois exterminá-la.

A quantidade de energia que é liberada quando o guerreiro controla sua autoimportância e vaidade é tão grande, que é inevitável uma mudança em curto prazo da sua visão de mundo e de si mesmo.

Sua percepção da realidade fica muito mais sóbria e envolvente.

Sem os apegos e mesquinharias do ego, sem o desperdício de energia que outrora ocorria sustentando uma visão de mundo baseada no culto ao “eu”, o guerreiro “abre” sua visão, como se lhe tirassem os antolhos que antes limitavam sua percepção, e vê o mundo a sua volta de uma forma totalmente diferente.

A autoconfiança do guerreiro tem de vir de dentro, derivando da sua impecabilidade, e não de fora, através de validações, aprovações e opiniões alheias.

A impecabilidade do guerreiro, onde ele oferece seu melhor em todas as circunstâncias e desafios de sua vida como forma de gratidão ao universo pelo milagre da sua existência, é um gesto seu para com o Espírito, e não precisa de plateia.

Por: Carlos Castañeda

http://ask.fm/juantumacastaneda

GUERREIRO DA LUZ

410

Foi um lobo quem me falou num sonho
Que não há como um homem comum se transformar em Guerreiro da luz
Sem ter a coragem de enxergar em sua própria escuridão,
E ver dentro dela dois lobos: um bom e outro mau

O guerreiro da luz é equilibrado e humilde,
Admite que não sabe exatamente
O que leva um espírito irmão a ser do jeito que é,
Por isso não o julga;
Sabe que o mau que está no outro,
Também habita dentro de si,
Embora possa estar não manifestado.

O guerreiro da luz ama intensamente,
Ama o amanhecer,
O meio-dia e
O entardecer;
Ama o anoitecer,
A meia-noite e
A madrugada;
Ama o Sol e a Lua,
O viver e o morrer;
Defende com a mesma intensidade,
Tanto a vida quanto a morte

Sabendo que são as partes de um mesmo ciclo
Que se encerra em si mesmo

O guerreiro tem sempre por objetivo aproximar
O homem de seu espaço sagrado,
Buscando o equilíbrio;
E por mais voltas que dê a vida,
Tentará sempre manter-se consciente de seu centro
Para não se perder na escuridão, e
Nem a temer

Observa os rios, as matas, as pedras, os animais –
Todos os seres espirituais
E tenta aprender com eles;
O guerreiro da luz tem coragem
De se auto-conhecer
Em todos os seres da criação
E sabe que cada espírito
Se completa em si mesmo
E que a soma de todas as coisas
Em cada ser é o nada e o infinito.

Conhece os ciclos de guerra e de paz
E se reconhece como mortal e imortal
Quando ergue sua lança, ergue-a com toda a sabedoria

Na luta,
Não se considera melhor nem pior que seu oponente,
E Preocupa-se somente com a sua missão,
Sem nunca se esquecer, porém, que a cada ação sua corresponderá
Uma reação de igual intensidade em sentido contrário;
E sabendo que talvez se comportasse exatamente
Do mesmo modo que seu oponente se estivesse ali e
Se fossem suas as vivências dele…

Luta somente por si e não para mudar o outro,
Porque o respeita;

Reconhece que neste sonho de cristais,
Que enquanto houver
Luz e sombra,
Som e silêncio,
Tempo e movimento,
Medo e desejo,
O lobo bom jamais poderá vencer o mau

Somente na quietude,
No nada infinito,
Onde não há vontade de se manifestar ou conquistar,
Quando não há mais medo ou desejo,
Num lugar além do bem e do mal,
Distante dos pensamentos,
O guerreiro se lembra de seu verdadeiro nome
E os lobos não mais disputam dentro de si,
Dando lugar
Ao grande mistério.

Alfredo Almader – Escritor

Via: https://www.facebook.com/pages/Alfredo-Almader

A MAGIA NÃO EXISTE (?)

Imagem

Certo dia ao passar por um lugar ou uma pessoa, sentiu um arrepio na nuca, e algo dentro de você dizia que havia algo ali, mas você ignorou. Esse sentimento era sua mente tentando mostrar uma coisa que você não é capaz de perceber normalmente, mostrar que o mundo é bem maior do que conseguimos perceber com um simples olhar. Essa consciência que tenta abrir seus olhos é o seu “Avatar”. Mas você ignorou, talvez não estivesse pronto para despertar. Mas quem está?
Seres sobrenaturais? Magia? Isto não existe! – Dizem todos…
Cada pessoa possui em si um “Avatar” que na maioria das vezes permanece adormecido. A pessoa ignora assim, que não consegue ver perceber nem entender o mundo por completo. Elas conhecem o mundo, mas ignoram o Mundo.
Porém, às vezes, somente às vezes, uma pessoa desperta seu “Avatar” e querendo ou não, entende que há algo mais do que aprendeu que existe. Ela sente. Ela sabe. E isso não implica em apenas ser espectador, mas em poder fazer alguma coisa com a realidade. Seres sobrenaturais? Magia? Isto não existe!
É com isso que um mago luta: a descrença. A magia permeia o mundo, muitas vezes está na nossa frente, mas normalmente é ignorada. Quando um mago desperta ele está em condições de vê-la e de tocá-la. A magia advém da vontade, da criatividade e principalmente da crença. E é por isso que está cada vez mais difícil de realizar magia: a maioria da humanidade está escondida por detrás da comodidade de não ter mais de pensar por si, ser criativo ou de se envolver com o mágico.
A magia é realizada através da vontade que é focalizada pela crença, e acredite, existem muitas crenças. Os magos se dividem em Tradições que se definem por seu conjunto de crenças e/ou filosofias.
Mas não pense, que depois de despertar e entender a magia, você vai sair por ai soltando bolas de fogo. Isto não é tão fácil. A magia tem um preço: quando você deforma demais a realidade ela reage e te ataca esse é o paradoxo: ação e reação.
Bem agora é com você que lê este texto. A escolha é sua. Bem… nem tanto, duvido que você ou qualquer outro conseguiria viver tapando os olhos, sentindo dentro de si, aquele desejo por conhecimento e magia. Você despertou, isso não passa ou vai embora se você ignorar. Você pode ir embora, ela está ai, sempre esteve e sempre estará, ao alcance de suas mãos.
Você também pode ser um Mago em Ascensão, pode ser uma destas pessoas que, por sorte ou azar, despertou e descobriu que pode se tornar algo muito maior do que a maioria das pessoas são.
Guerreiro da Ascensão? Explorador do desconhecido? Usuário da magia para seus próprios fins, altruístas ou não? Você escolhe…”

Por: Felipe Le Fay

Saiba maishttps://omundodegaya.wordpress.com/misttico/