O CREDO DAS BRUXAS

SACERDOTISA

Ouça agora a palavra das Bruxas,
os segredos que na noite escondemos,
Quando a obscuridade era caminho e destino,
e que agora à luz nós trazemos.

Conhecendo a essência profunda,
dos mistérios da Água e do Fogo,
E da Terra e do Ar que circunda,
manteve silêncio o nosso povo.

No eterno renascimento da Natureza,
à passagem do Inverno e da Primavera,
Compartilhamos com o Universo da vida,
que num Círculo Mágico se alegra.

Quatro vezes por ano somos vistas,
no retorno dos grandes Sabás,
No antigo Halloween e em Beltane,
ou dançando em Imbolc e Lammas.

Dia e noite em tempo iguais vão estar,
ou o Sol bem mais perto ou longe de nós,
Quando, mais uma vez, Bruxas a festejar,
Ostara, Mabon, Litha ou Yule saudar.

Treze Luas de prata cada ano tem,
e treze são os Covens também,
Treze vezes dançar nos Esbás com alegria,
para saudar a cada precioso ano e dia.

De um século a outro persiste o poder,
Que através das eras tem sido levado,
Transmitido sempre entre homem e mulher,
desde o princípio de todo o passado.

Quando o círculo mágico for desenhado,
do poder conferido a algum instrumento,
Seu compasso será a união entre os mundos,
na Terra das sombras daquele momento.

O mundo comum não deve saber,
e o mundo do além também não dirá,
Que o maior dos Deuses se faz conhecer,
e a grande Magia ali se realizará.

Na Natureza, são dois os poderes,
com formas e forças sagradas,
Nesse templo, são dois os pilares,
que protegem e guardam a entrada.

E fazer o que queres, será o desafio,
como amar a um Amor que a ninguém vá magoar.
Essa única regra seguimos a fio,
para a Magia dos antigos se manifestar.

Oito palavras o Credo das Bruxas enseja:
sem prejudicar a ninguém, faça o que você deseja!

Doreen Valiente, “Witchcraft For Tomorrow” pp.172-173

Versão Traduzida para o Português

BELTANE – O VERDADEIRO DIA DAS BRUXAS

Imagem

 

Beltane é um festival Celta, comemorado até os dias atuais no hemisfério norte no dia 01 de maio e no hemisfério sul em 31 de outubro, e que marca o início do verão e o fim do inverno, ele representa a entrada do Deus Cornífero no seu período adulto.

A palavra Beltane se origina dos termos galeses tan (fogo) e Bel (nome do deus sol dos galeses). Juntas, as duas palavras significam “fogo de Bel” , ou então, mais poeticamente, “fogo no céu”, o que é uma expressão que expressa maravilhosamente bem o espírito deste sabá.

Beltane é um dos poucos festivais pagãos que sobreviveu da época pré-cristã até hoje e, em sua maior parte, na forma original. Ele é baseado na Floralia, um antigo festival romano dedicado a Flora, a deusa sagrada das flores. Em tempos mais antigos, esse festival era dedicado a Plutão, o senhor romano do submundo, correspondente a Hades da mitologia Grega. O primeiro dia de maio também era aquele que os antigos romanos queimavam olíbano e selo-de-salomão e penduravam guirlandas de flores diante de seus altares em honra aos espíritos guardiãos que olhavam e protegiam suas famílias e suas casas.

Esse é o festival da fertilidade, simbolizando a união entre as energias masculina e feminina, a fertilidade da terra e os fogos do Deus Celta Bellenos, e toda sua energia e luz.

Oração de Beltane

Ó Deusa Mãe, rainha da noite e da Terra;
Ó Deus Pai, Rei do dia e das florestas,
Eu celebro sua união enquanto a natureza se alegra num ruidoso banho de cor e vida.
De sua união surgirá a vida renovada; Uma profusão de criaturas vivas cobrirá a terra,
E os ventos soprarão puros e doces.
Ó antigos, eu celebro com vocês!!

Dessa forma querendo festejar esta noite encantada de Beltane, acenda uma vela simbolizando o Sol, colha flores para simbolizar a fertilidade, e recite poemas em homenagem ao Deus e a Deusa.
Se for possível, passe a noite em claro e veja o amanhecer…
Sinta a grandeza e exuberância da Natureza, e de como a Vida é fértil e perfeita.