O CRISTO UNIVERSAL

 

cristo

O Cristo Universal não é representado apenas pela figura histórica que chamamos de Jesus, já que muitos de nós o compreendem como a suprema expressão da totalidade — do Deus manifesto. O Cristo Universal não está confinado a nenhuma religião. Ao contrário, deve ser compreendido como o potencial máximo que existe em todos os seres. Mas ele só desabrocha naquele que possui completa autocompreensão.
Os Grandes Mestres, aqueles seres que compreendem a si mesmos e que vivem como manifestações do Cristo Universal, apareceram em muitas tradições diferentes em toda a História. Eles demonstraram, na totalidade de seu ser e de seus ensinamentos o caminho para unir o humano ao divino. Este potencial está presente em todo ser. O Cristo Universal é o instrumento através do qual retomamos a conexão com a Fonte primeira. É a graça salvadora que nos liberta da ignorância e da escravidão na roda do renascimento. É a Luz do mundo, que transforma chumbo em ouro através da alquimia do amor puro.
O mistério do Cristo Universal certamente vai além da compreensão humana. Mas, como essa energia cósmica desce até as questões humanas, o exemplo do Cristo é derramado dentro dos recipientes místicos de todas as culturas. Formando a base dos costumes e a história de vários povos, utilizando os materiais culturais disponíveis, a História Única da jornada da alma em direção à união com a Fonte original foi contada através das eras.
Todas as vezes e em todos os lugares em que a escuridão parece cegar as pessoas, sempre que o propósito da existência humana se perde no seu próprio atoleiro, um grande ser iluminado chega mais uma vez para trazer a verdade. Algumas lendas dizem que esses seres vêm do céu como um ato de graça. Outras entendem sua irradiação como o desabrochar do que há de melhor na nossa espécie. Mas, seja qual for o modo como chegam, eles vêm quando são necessários e nos instruem de acordo com o nosso nível de entendimento na época, deixando-nos um legado de ensinamentos que continua a impulsionar a nossa evolução. Tecida nos fatos reais da vida humana de um grande mestre, há uma história que transcende a vida de toda pessoa, pois ela faz parte do modelo do Cristo Universal.
A universalidade dessa História Singular pode ser um desafio a enfrentar quando se foi educado para acreditar que as verdades da própria religião excluem todas as outras. Mas este é um dos dons de nossa época: o acesso à instrução formal e às comunicações globais que nos permitem pesquisar e compartilhar das muitas variações da história em todo o globo terrestre. Seria uma grande perda desprezar uma história porque descobrimos que ela tem contrapartes em diferentes culturas. A força e a verdade dessas muitas histórias do Cristo Universal residem em sua universalidade, não em sua exclusividade. Continuamos contando-as, geração após geração, de cultura para cultura, porque algo em nós ressoa profundamente com as suas verdades acerca de nossa natureza e do modo como podemos reconciliar o humano com o Divino. Por meio delas, encontramos orientação ao confrontar nossas sombras e ao enfrentar as provas e tentações, os perigos e os sacrifícios, ao viver a consciência do Cristo. Não retornamos à totalidade através desta ou daquela religião; retornamos através do Cristo Universal. Os Mistérios ensinavam aos iniciados que nós, primeiramente, entramos no caminho, depois seguimos o caminho e, por fim, nos tornamos o caminho. No Apocalipse está escrito: “Para aquele que supera [domina], construirei um pilar [uma força cósmica] no templo de Deus, e ele não sairá [não encarnará] nunca mais.”
Enquanto vivermos representando a história de Adão e Eva, continuaremos a morrer muitas e muitas vezes. Mas quando vivemos o Cristo dentro de nós, o Buda dentro de nós, quando recebemos a infusão do Espírito Santo, então, como dizia Krishna, somos salvos da “eterna roda da morte e do renascimento”. E, como disse Jesus, ganhamos “a vida eterna”. Esse é o caminho da iniciação.

 

Texto extraído de: As sete Etapas de uma Transformação Consciente, de Gloria Karpinski

NOVAMENTE O NATAL – POR DIVALDO FRANCO

NATAL

 

Embora os problemas complexos e desafiadores destes dias, quando as criaturas humanas estamos em aturdimento e conflitos perversos, lentamente se aproxima a data natalina de Jesus.

De alguma forma, a psicosfera terrestre se modifica e suaves esperanças tomam conta de nossas vidas.

Velhas canções de infância ressoam em nossos sentimentos, páginas de ternura que pareciam esquecidas retornam à nossa memória, a magia dos presépios com figuras de barro ou de porcelana, de madeira ou de marfim nos fazem evocar a noite santa de Belém, enfim, cada um de nós sente o doce fenômeno da Manjedoura, que inaugurou um período novo para a Humanidade.

A grandeza daquele Menino incomparável modificou a História, e, por ser tão extraordinária a Sua vida, não coube nos seus fastos, que passaram a ser narrados antes e depois d’Ele.

No Seu anonimato, vivei em modesta região, Nazaré, na parte baixa de Israel, a Galileia, e quando iniciou o Seu ministério, ofereceu conceitos diferentes dos então existentes, lecionando amor e fraternidade como antes ninguém nunca se atrevera a expressar. Não apenas falou, mas viveu a extraordinária existência de desafios e mudanças sociológicas e psicológicas, que O tornaram modelo e guia para os tempos vindouros.

Ninguém que se compare a Jesus!

Acredita-se que Napoleão Bonaparte é o homem mais biografado da humanidade, no entanto, Jesus o suplanta.

É certo que nem todas as biografias são elogiosas ou místicas, muitas delas são críticas e vulgares, o que é natural, porque todos aqueles que ouvem falar sobre Ele nunca mais são os mesmos: amam-nO ou detestam-nO.

O Seu comportamento moral incomoda os frívolos e os odientos, ainda hoje, e os Seus silêncios perturbam os vaidosos e exaltados.

Psicoterapeuta extraordinário, alcançou o estado numinoso, e convivendo com os miseráveis da época, não se tornou mais um deles, antes os ergueu à dignidade e à vitória sobre a própria sombra.

Não poucas vezes, a Sua mensagem foi deturpada ou adulterada propositalmente, para atender a interesses infelizes de homens e mulheres indignos, de dominadores transitórios e perversos, e mesmo assim, à semelhança do ouro que se destaca no cascalho, as Suas palavras são gemas que libertam das paixões inferiores e proporcionam felicidade sem jaça.

Bastam Suas duas frases irretocáveis aplicadas e vividas no comportamento humano e o mundo se tornará melhor, no qual a vida se modificará: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo” e “Não fazer a outrem o que não gostaria que lhe fosse feito”.

No próximo Natal, busca reviver as Suas lições e aplicá-las na conduta íntima, doméstica, social e comunitária para que todos sejamos harmônicos e ditosos.

DIVALDO P. FRANCO
Professor, médium e conferencista
___________________

Divaldo Franco escreve no jornal A Tarde – Coluna Opinião – às quintas-feiras (quinzenalmente).

Artigo de Divaldo Franco ➤ Publicado no jornal A Tarde, coluna Opinião, em 13/12/2018

AS VIBRAÇÕES DE CURA DO MÊS 9

1

Setembro é um mês 9 (3X3), que segundo a tradição cabalística, representa o caminho das grandes transformações.
Pitágoras, o maior estudioso dos números de que se tem notícia, afirmava que tudo no universo está sujeito a ciclos progressivos prognosticáveis e que as formas de se medir esses ciclos são os números de 1 a 9. Nove significa novo e, assim sendo, marca o final de um ciclo e o início de outro. Ao atingir o nove estamos prontos para devolver ao universo alguma parte daquilo que se aprendeu através dos oito passos anteriores do ciclo.

Nas mitologias mundiais, o 9 é o número da “Mãe Deusa do Mundo,” a “Grande Deusa de Muitos Nomes,” Ela que é Matriz do processo de vida cósmico, e, na Grécia, era o número das Nove Musas, Filhas de Mnemósine (Memória, ou seja, Binah).

Outro fator importante do mês de setembro/16 é que o mesmo está sendo regido por duas Lua Novas (uma abrindo o mês e outra fechando), com isso as energias de cura e o padrão vibratório da orbe terrestre também passam por grande modificação. Somando-se a isso temos o que chamamos de “Tunel Temporal” sendo aberto em nossa Galáxia por conta da influência do planeta Mercúrio, que permanecerá retrógrado no período de 30/08 à 22/09. E o que significa Mercúrio estar retrógrado? Significa que sua órbita está em vibração contrária a do Sol e, com isso, um grande vórtice de força é desencadeado no Universo.

Os Trabalhadores da Luz e demais pessoas que estão com seus canais vibracionais “abertos” estão sentindo estas energias com mais força e maior impacto no cotidiano. Recomenda-se a ingestão de muito líquido e dar-se um período breve de descanso diário (15 min/dia) a fim de sintonizar com as forças do alto e afinizar-se com estas novas energias. Aqueles que trabalharam e buscaram pela cura terão agora a chance de dar o sonhado salto quântico e começarem a vibrar na frequência da Nova Era.

Note-se aqui que falo da ascensão da consciência a um plano mais elevado onde cada individuo desvincula-se de velhos traumas e padrões, com isso eleva seu padrão mental e abre-se para a Luz que irradia do alto.

No Universo tudo vibra e nada está parado. Aprender a vibrar na mesma frequência do alto é um dos desafios deste mês…

Algumas frequências nos ajudam a enfrentar esta “fase” de limpeza com um pouco mais de facilidade. Deixo aqui as “chaves” vibracionais do 6º Raio Rubi-Dourado, o mesmo em que vibra o Mestre Jesus e demais Chohan (Guardiões) e que canalizam a força crística de amor e cura para todos os seres de nosso planeta.

Ouçam sem moderação .!

Músicas-chave: Concerto para Piano (2 extratos) [Grieg]; Meu Herói, “Soldado de Chocolate” (Herbert) e Tema de Lara, “Dr. Zhivago” (Maurice Jarre)

 

Cibele Santos – Nutricionista, Taróloga, Shamanic Healer e Facilitadora de Círculos do Sagrado Feminino

https://www.facebook.com/cibele.stos

 

ORAÇÃO PELA FAMÍLIA NO NATAL

Imagem

Senhor, diante de teu presépio venho pedir por minha família.

Abençoa as pessoas que amo onde quer que estejam.

Que dentro de nosso lar habite a confiança de tua mãe, Maria, o zelo de teu pai, José, e a inocência de teu rosto de criança.

Afugenta de nossa casa as dores, lágrimas e angústias causadas por tantos Heródes que lutam por matar nossos sonhos de paz.

Concede-nos a saúde do corpo e da alma, para que possamos cantar teus louvores a cada dia deste novo ano.

Que nossas portas estejam sempre abertas para ti, nas visitas que nos fazes em tantos rostos sofridos.

Dá-nos a alegria de tua presença em nosso lar: o maior de todos os presentes possíveis. 

Abençoa minha família neste Natal, Senhor.

Amém!