O FUNCIONAMENTO DA MENTE HUMANA – Um guia para programadores oportunistas, crentes convictos e coitadinhos de mim

bobo_da_corte_do_carnaval_adesivo-rbcaba85564f2493f885be75650ad0194_v9wth_8byvr_512

Comece fixando em sua mente o seguinte programa:

1- Faça uma coisa repetidamente, com convicção, como se a sua vida dependesse disso, como se fosse a coisa mais importante do mundo. Aconteça o que acontecer, não questione o que você está fazendo nem tente interromper o programa. Não se observe, não procure conhecer a si mesmo e nunca se autoafirme. Simplesmente faça, sem pensar. Sua vida é boa, você tem tudo o que precisa pra viver e vai para um lugar quentinho e feliz depois da morte.

2- Continue fazendo, mesmo que seja interrompido, questionado ou desafiado a pensar. Mesmo que continuar seja totalmente irracional ou ilógico, um verdadeiro suicídio mental ou uma loucura absurda. Mesmo que você sofra as consequências ou faça os outros sofrerem com isso. É gostoso ter coisas entrando por um ouvido e saindo pelo outro tranquilamente.

3- Copie esse programa para a mente de outras pessoas sempre que possível e, na primeira oportunidade que tiver, inove na forma de fazer isso. Não se preocupe em ser pego, nem fique com a consciência pesada, raramente alguém vê ou percebe que foi ‘infectado’. Na pior das hipóteses, você pode se fazer de vítima, fingir ‘que não é com você’ ou que você não entende porque estão te julgando e sendo tão duros com você.

4- Repita tudo de novo, porque você ama a rotina.

—@—

DICA PARA UM MELHOR DESEMPENHO Nº 1:
Se em algum momento alguém chegar te apresentando coisas como autoobservação, autoconhecimento, autoafirmação, terapias, chás milagrosos, meditação ou essa coisa toda de libertação mental, negue veementemente, reforce que você já tem as suas crenças e afaste-se o quanto antes dessa pessoa. Lembre-se que sua mãe lhe disse pra não falar com estranhos.

DICA PARA UM MELHOR DESEMPENHO Nº 2:
Se alguém tentar interromper o seu programa, contestar o que você está fazendo, questionar a sua crença ou mesmo tentar te impedir, acabe com a conversa, acabe com a relação se for preciso. Grite, xingue, proteste, quebre alguma coisa e volte a fazer o que você estava fazendo normalmente, reforçando que você está fazendo a coisa certa e que é nisso que você acredita e ponto final. Enfim, não permita que alguém estrague o seu dia ou interfira no seu livre arbítrio.

—@—

NOTA MENTAL Nº 1:
O melhor momento pra copiar o programa para a mente de outras pessoas é quando elas exibem suas crenças e convicções, quando expõem seus sofrimentos e dramas pessoais ou quando exaltam seus sonhos, desejos e vícios mais ardentes. Afinal, todos gostam de pensar que sabem como funciona a sua própria mente, e um pequeno reforço nunca é demais.

NOTA MENTAL Nº 2:
Graças a tecnologias muito avançadas chamadas Programação neurolinguística e DNA, é possível iniciar e rodar programas com facilidade quase infantil. Isso pode ser feito mesmo sem querer ou sem qualquer experiência no assunto, bastando ‘dar o play’ em qualquer momento traumático ou vulnerável na vida de alguém, como descrito na nota mental nº 1. Se tiver qualquer dúvida sobre esse assunto, ligue a televisão.

NOTA DE REFORÇO:
Lembre-se de, sempre que possível, aproveitar as oportunidades de convencer alguém a pensar como você, e a ficar do seu lado. Os melhores lugares são aqueles em que todos concordam e até reforçam os programas uns dos outros, como descrito na nota mental nº 1.

—@—

PS.: Não nos responsabilizamos por eventuais danos decorrentes desse processo, mesmo porque você já está danificado por ele antes mesmo de começar a rodá-lo.

Por: Julio Licks

https://www.facebook.com/julio.licks

POR QUE DEMORAMOS TANTO PARA BUSCAR AUXÍLIO?

62

Este texto começou se formando hoje de manhã na minha mente, logo após o despertador tocar.

Muitas vezes acontece desta forma, depois das viagens astrais feitas pelo meu espírito durante a noite. Neste processo natural, para qualquer pessoa, o corpo permanece em sono profundo, porém, o espírito se projeta pelo universo infinito da criação.

A projeção astral* é uma dádiva e quando bem estudada, praticada a seu favor e ao próximo (encarnado ou desencarnado) é possível expandir ainda mais seus conhecimentos, muitas delas sendo possíveis somente no plano astral, pois na matéria temos um conjunto de limitações.

Então, voltando para ao tema, sai de casa e fui escrevendo o texto na minha agenda dentro do metrô até um dos consultórios onde atendo como Psicoterapeuta Reencarnacionista e Holístico aqui em São Paulo/Capital e me perguntava:

Até quanto a nossa cultura ocidental e a brasileira influenciam esta nossa atitude de postergar ao máximo a procura de auxílio?

Ainda hoje, em alguns países e regiões no oriente e ocidente, as pessoas buscam auxílio em momentos “bons” de suas vidas, é claro com o objetivo de melhorar ainda mais suas vidas.

Elas culturalmente estão sempre buscando melhorar, mesmo quando a vida anda bem. Sabem que é sempre possível ir além e, em casos de situações difíceis, recorrem mais rapidamente ao auxílio.

Quando penso nesta forma de agir, eu me lembro de um ditado popular brasileiro que diz: “Se melhorar estraga”. Bom não é preciso dizer nada, pois ele já diz tudo.

Na minha visão o mais assertivo seria dizer desta forma: “Se melhorar, melhora“. É desta forma que eu penso e pratico na minha vida nestes últimos anos. Parece ser uma mudança boba, mas quando entendida, compreendida e principalmente praticada em essência faz uma grande diferença na vida.

No nosso dia a dia precisamos ficar atentos (lúcidos) para a forma que pensamos, ainda mais como sentimos e principalmente como colocamos em prática tudo isso. Isso é viver com lucidez e isso faz a diferença em tudo.

Em nossa vida, não precisamos viver como nos disseram que teríamos que fazer, sentir e agir.

Não precisamos ir ao extremo da tristeza, dor, mágoa, raiva, ódio, isolamento, angústia, depressão e assim vai… Todos nós temos a capacidade de superar nossos próprios desafios, mas quando essa máxima não é possível (por qual razão que seja), o que eu faço por mim?

Tudo vai depender o quão lúcido (atento) está vivendo sua vida. Não precisamos ir aos limites, porém, em nossa na cultura brasileira (de deixar tudo para o último instante) isso acontece muito.

E quando esta situação extrema acontece, por mais incrível que pareça, é uma dádiva, pois este é o momento de despertar da Alma e então tudo acontece. A vida é a maior de todas as escolas e Deus é absoluto, eles mostram que também pela dor (ilusão) é possível edificar (reformar) a vida. Essa é a vontade do espírito, pois ele ainda está precisando resolver uma série de situações nesta vida (encarnação) e não pode ficar inerte.

Sempre há tempo de mudar, virar a chave e seguir em frente. É preciso principalmente “querer”.

Ninguém vence na vida sozinho, por isso vivemos em sociedade e precisamos tanto um dos outros.

Precisar de auxílio não é vergonha e muito menos sinal de fraqueza (para ninguém), muito pelo contrário, é sim entender os planos Divinos que estamos inseridos, todos se unindo, auxiliando uns aos outros e todos superando seus desafios para crescermos juntos.

Quando você melhora, indiretamente você melhora sua família, no trabalho, com os amigos, no bairro, cidade e assim sucessivamente. Uma espécie de corrente do bem para um mundo melhor.

Quer um mundo melhor? Mude primeiro o seu mundo interno!

Primeiro você, para depois poder melhorar tudo ao seu redor.

Melhorar sempre, todos nós estamos “destinados” a evoluir, não tem como escapar desta lei Divina, chamada de Evolução.

Só não adormeça e caia na inércia, pois a jornada ficará muito mais longa do que realmente precisaria ser.

Pense, reflita e pratique (VIVA).

Amor
Determinação
Confiança

Jefferson L. Orlando

* Projeção Astral ou da Consciência:

É a capacidade parapsíquica, natural e espontânea que todo ser humano tem de projetar sua consciência para fora do corpo físico quando o metabolismo e as ondas cerebrais se encontram baixas, isto ocorre quando estamos dormindo, em estados de coma, meditação profunda… Essa experiência tem recebido diversas nomenclaturas, dependendo das doutrinas ou correntes de pensamento que a mencionem: Viagem Astral (Esoterismo), Projeção Astral (Teosofia), Experiência Fora do Corpo (Parapsicologia), Desdobramento, Desprendimento Espiritual ou Emancipação da Alma (Espiritismo), Projeção do Corpo Psíquico ou Emocional (Rosacruz), Projeção da Consciência (Projeciologia) etc.

Sair do corpo é algo natural, fazemos todos os dias sem saber, mas a projeção lúcida (sair do corpo e se lembrar da experiência) requer responsabilidade e ética espiritual. É impossível desencarnar devido a uma viagem astral, mas é possível morrer sem nunca ter se projetado com lucidez.

Devemos tirar proveito destas experiências fora do corpo como aprender sobre a vida nos planos mais sutis, doar nosso amor em trabalhos de assistência extrafísica, servir aos Mentores Espirituais como humildes auxiliares, além de podermos encontrar com parentes e pessoas amadas que já desencarnaram.

Viagem astral não é turismo astral! Requer ética espiritual, maturidade e amor ao próximo.

** Jefferson L. Orlando Psicoterapeuta Reencarnacionista, Escritor, Apresentador do Programa Sol do Everest (Canal YouTube), Colunista do site Somos Todos Um (Stum) e Horóscopo Virtual (UOL), Palestrante, Ministrante, Outorgado pela Magia Divina, Projetor Extrafísico e Espiritualista. Seu objetivo é auxiliar as pessoas a encontrarem seu caminho de evolução consciencial, desenvolvimento da espiritualidade, missões de alma, prosperidade e alegria plena em suas vidas. Reside e atende em São Paulo/SP com a Psicoterapia Reencarnacionista, Regressão Terapêutica (Método ABPR – Conduzido pelos Mentores Espirituais) e Bioenergético Anímico-Mediúnico através das Mandalas pela Magia Divina.

Site: www.soldoeverest.com.br
Canal Youtube: www.youtube.com/soldoeverest
E-mail: jefferson@soldoeverest.com.br

7 PASSOS PARA DOMINAR O EGO

244

1 – Não te sentir ofendido.

2- Libertar-te da necessidade de ganhar

3- Libertar-te da necessidade de ter razão

4- Libertar-te da necessidade de ser superior

5- Libertar-te da necessidade de ter mais

6- Libertar-te da necessidade de identificar-se com seus êxitos.

7- Libertar-te da necessidade de ter fama

10 DICAS DE FELICIDADE DE ACORDO COM A CIÊNCIA

Imagem

Todos os dias você faz escolhas e toma pequenas decisões, e algumas delas parecem completamente alheias à sua saúde e felicidade. Porém, muito do que você decide durante o seu dia a dia pode impactar dramaticamente a maneira como você se sente mental e fisicamente. Se você já notou que algumas dessas escolhas têm complicado sua vida, se atente para essas 10 dicas para mais feliz e saudável a partir da mudança de alguns hábitos:

  1. Tenha conexões mais profundas
    A experiência humana se baseia na conexão com outras pessoas, afinal, ela dá valor e significado para as nossas vidas. Pesquisas apontam que pessoas com fortes laços sociais são mais saudáveis e tem menor risco de morte. Além disso, têm a expectativa de vida mais alta, e menos riscos de câncer. Isso vale para o casamento, a família e os amigos. Não tenha medo de se entregar. Os laços e a conexão são essenciais para uma vida saudável e feliz.
  2. Não fique sentada o dia todo
    Ficar sentada em frente à uma tela de TV ou de computador aumenta o risco de ter doenças cardiovasculares e morte, mesmo que você pratique atividades físicas! A pesquisa foi realizada com 240 mil participantes, que tinham o hábito de permanecerem sentados diariamente por muitas horas, e outra parcela que não tinha o mesmo costume.
  3. Pare para respirar

    A respiração é como um alimento para o corpo e a mente. Procure tirar pelo menos 15 minutos do seu dia para sentar e respirar. A meditação unida à respiração correta reduz a ansiedade, melhora sua qualidade de vida, estimula o sistema imunológico e, de quebra, regula o seu sono. Quer motivo melhor para dar uma pausa em seu dia?

  4. Torne-se membro de alguma comunidade
    Procure uma religião, doutrina, ou mesmo grupo, em que você possa interagir e trocar ideias com outras pessoas. Essa prática pode lhe auxiliar a reduzir o estresse e as preocupações, além de ser uma ótima janela para as novas amizades.
  5. Não ignore suas habilidades criativas
    Expressar-se criativamente reduz o risco de doenças, e fortalece a sua saúde e bem-estar. Um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard revelou que a arte, por exemplo, ajuda a reduzir o estresse e a ansiedade, aumenta as emoções positivas, e reduz a probabilidade de depressão, além de muitos outros benefícios. Outro estudo, que foi publicado no Journal of Medicine Biobehavioral, descobriu que a escrita criativa melhorou a resposta do sistema imunológico de pacientes com HIV.
  6. Não passe o dia todo dentro de casa
    Explore o mundo ao seu redor – mesmo que isso signifique viajar para algum lugar bacana, ou apenas fazer caminhadas pelo seu bairro. Isso irá lhe oferecer uma ampla gama de vantagens para o seu corpo e mente. Para começar, os benefícios da luz solar irão compensar os efeitos negativos da luz artificial de que estamos acostumadas. Além disso, pesquisadores descobriram que as viagens de excursão com grupos são verdadeiras terapias, já que promovem a perda de peso e aumentam o ânimo, a confiança e a auto-estima. Viva mais ao ar livre!
  7. Consuma menos e crie mais

    A contribuição é essencial para uma vida plena e feliz. Muitas vezes passamos a vida consumindo o mundo em torno de nós, em vez de criá-lo. Vivemos uma vida sedentária e comemos passivamente, o que não nos deixa criar nada, apenas absorver o que já foi feito. Portanto, prepare sua própria refeição em vez de comer fora, ou de comprá-la pronta. Experimente aprender a fazer sua própria roupa, ou, se isso for muito difícil, confeccione algum objeto mais simples. Isso vai estimular sua criatividade, reduzir o estresse e, de quebra, você irá gastar menos dinheiro.

  8. Trabalhe com o que você gosta
    Trabalhar em excesso pode ser potencialmente perigoso. No Japão, pessoas que morrem por problemas psicológicos por causa do trabalho têm até um rótulo: “karoshi “, que significa literalmente “morte por excesso de trabalho”. Fatores como deslocamentos imprevisíveis, tensão, discordância com o seu chefe ou colegas de trabalho e sentir-se desvalorizada são danosos à sua saúde. Horas extras também contribuem com o problema: quem as realiza tem mais chance de ter doença coronária.
  9. Não coma sozinha
    Segunda Brian Wansink, professor de Cornell e autor do livro Mindless Eating, quando as pessoas comem sozinhas, são mais propensos a ter compulsão alimentar. Além disso, as dietas também sofrem mudanças, já que as pessoas tendem a comer menos frutas e refeições menos saudáveis. Parece que as pessoas se esforçam menos para comer bem quando estão sozinhas.
  10. Acredite que você é digna de saúde, felicidade e amor
    Quando você quer iniciar um projeto, o primeiro passo para alcançá-lo é ter a certeza de que merece voar alto. Não permita que seu medo, insegurança ou até mesmo vergonha a impeça de tentar coisas novas ou ousadas, segundo o seu julgamento. Quando você se empenha e busca objetivos corajosos acreditando que os merece (e que irá conseguir), pode se surpreender com os resultados.

Via The Huffington Post

Fonte: Dicas de Mulher

POR QUASE CONEXÃO

611

A fluidez da vida combina com leveza, com desapego, com ternura, uma certa delicadeza que beira o minimalismo nos gestos.

A tecnologia traz facilidades, aproxima as pessoas, em sua multiplicidade de proezas,  ajuda a esconder sentimentos, emoções, o coração, aumenta a produtividade de vazios. Mascara relações e conflitos internos.

Pressa e conflitos nos afastam do sagrado, do templo onde a divindade arde.

Tocamos pouco uns aos outros,preferimos cutucadas, trocamos poucos sorrisos, acariciamos e cuidamos de máquinas dedicando-lhes o toque, como substitutos de pessoas, soa um pouco desagradável dizer isso, parece constrangedor, coisa de gente ultrapassada que reage ao novo.

Dispomos de aplicativos para quase tudo, trocamos o incerto das tentativas  por um processo garantido de êxito, mesmo que superficial, nossa pele endurece fácil.

Aprendemos rapidamente a esconder, a sofisticar desculpas, a ausentarmos de nossa própria presença.

E o outro vira uma curtida na postagem, uma marcação, um e-mail de poucas linhas, com palavras abreviadas, quase que códigos secretos para iniciados no admirável mundo novo.

Ainda há alguns que religiosamente escrevem ou lêem poesia, ouvem ou compõem músicas.

Ainda há alguns que plantam ervas aromáticas e temperos, semeiam jardins e cuidam para que as flores anunciem a primavera, a mesma primavera que o transito deixa sem cor, a mesma primavera que nem sabemos mais quando vem tanto o calor.

A preguiça impede o abraço, o medo nos desapropria do contato, nos tornamos férteis e frenéticos solitários em comunidades da rede digital, comunicando com caracteres, bytes e bites, tudo que aos poucos o coração desconhece plenamente.

Marcos AD Pereira

ATITUDE

Imagem

 

“Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens. E a cada um deu cinco talentos, e a outro, dois, e a outro, um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.” ( Mateus 25: 14-15)

Esta parábola conta que o senhor, o empregado destes homens, deu a cada um deles uma quantidade de talentos conforme a capacidade individual destes servos. Depois disto, ausentou-se do seu país e, quando voltou, ordenou que cada um lhes prestasse conta do que havia feito com o seu dinheiro.

Aquele que recebeu cinco talentos multiplicou-os por mais cinco, o que recebeu dois multiplicou por mais dois e o que recebeu um guardou-o com medo de perder. Depois dos resultados apresentados, o senhor retirou o único talento daquele que havia guardado por medo de perder, entregou ao que havia multiplicado os cinco talentos e disse: “Se você tinha medo de perder, por que não entregou a outro para cuidar? Pelo menos eu teria recebido o juro deste dinheiro.”

Observe que, mesmo aquele homem não tendo capacidade de multiplicar o dinheiro, poderia ter tido a atitude de aplicá-lo e não perder a oportunidade que estava adiante dele.

Ser capaz é tomar a decisão de agir diante de ma oportunidade. Existem pessoas que conseguem ver oportunidades e quase todas as situações. Outras enxergam somente obstáculos. Você precisa reconhecer o seu potencial de crescimento e visualizá-lo em todas as oportunidades.

Quando você vê um copo de água pela metade, o que você pensa? O otimista diz: Está quase cheio, e o pessimista: Está quase vazio.

Ter atitude é não ter medo do resultado. Mas se o qu efoi empreendido der errado, você deve crer que achará um meio de dar a volta e alcançar o resultado desejado. É assim que devemos agir. Quem toma decisão pode sim, errar, mas quem nunca a toma, já está errando.

Aprenda que quanto maior a recompensa, maiores são os riscos. Correr riscos não significa perder, e sim, criar a possiblidade de obter sucesso. Porém, todo risco deve ser calaculado para não nos tornarmos irresponsáveis.

Aprenda que a oportunidade não espera ninguém. Quando ela chega, ou você tem uma atitude correta ou errada.

Toda oportunidade é para os otimistas. Pratique o otimismo, fale de forma otimista, pense e veja de forma otimista. Hoje você precisa ter atitude de sair da zona de confrto emque vive e experimentar a possibilidade de te sucesso.  

Algumas pessoas querem só ter o suficientente para viver, outras querem uma oportunidade para vencer. O que voce fez com as oportunidades da sua vida?

 

“Ter atitude é não ter medo do resultado”

 

Texto baseado no livro: 21 Dias para Transformar a sua Vida 

Por Michael Aboud

 

Saiba mais: https://omundodegaya.wordpress.com/misttico/

VENCER O MEDO

Imagem

 

Diz uma antiga fábula que um camundongo vivia angustiado com medo do gato. Um mágico teve pena dele e o transformou em gato. Mas aí ele ficou com medo do cão. Por isso, o mágico o transformou em pantera. Então, ele começou a temer os caçadores. A esta altura o mágico desistiu. Transformou-o em camundongo novamente e disse:

– “Nada que eu faça por você vai ajudá-lo, porque você tem apenas a coragem de um camundongo”.

É preciso coragem para romper com o projeto que nos é imposto. Mas saiba que coragem não é a ausência do medo, mas sim a capacidade de avançar, apesar do medo.

Caminhar para a frente e enfrentar as adversidades, vencendo os medos… É isto que devemos fazer. Não podemos nos derrotar, nos entregar por causa dos medos.

Senão, jamais chegaremos aos lugares que tanto almejamos em nossas vidas…

 

Autor Desconhecido

Saiba mais: https://omundodegaya.wordpress.com/misttico/

O PODER DO ERRO

341

Enquanto você reclama do erro, eu agradeço. Enquanto você se pergunta porquê ele aconteceu, eu me pergunto como seria se ele não tivesse acontecido. Enquanto você se lamenta, eu me levanto. E no final de tudo isso você fala que foi apenas mais um erro, e acaba de errar novamente.

Costumamos reclamar de todos os males ruins, acreditando que eles aconteceram com a gente para nos punir ou nos “ferrar”. Não é assim que funciona, o erro por exemplo, ele pode nos atrasar, magoar, ferir, machucar, empobrecer, irritar e derrubar, mas no final de tudo ele só pode fazer uma coisa, nos transformar.

A humanidade vive tentando remediar o erro, fazendo de tudo para que ele não aconteça, e perde tanto tempo com isso, que ele acaba se manisfestando sem perceber, e você não aprendendo nada. A transformação que ele causa em nossas vidas, as vezes é pouco notável, mas não imperceptível. Para cada 10 erros, tem no mínimo 50 aprendizados por trás dele. Só depois da primeira queda de bicicleta, você percebe que todo cuidado é pouco. Colocando a mão numa panela fervendo uma vez, é o suficiente para que você nunca mais faça isso. É depois de uma guerra, que percebemos que precisamos de um motivo maior para começar outra. É vendo seu filho passar fome, que faz aumentar o valor por cada refeição. É nessa crescente que percebemos a importância do erro, em uma vida que poucos erros acontecem, o despreparo é certo. O despreparo só acontece por dois motivos, ou por falta de conhecimento sobre o assunto, ou por oportunidades que o erro passou por sua vida, e você não o estudou. Esse estudo deve ser feito minunciosamente, detalhe por detalhe, até que no final se tire uma conclusão do que não se deve fazer da próxima vez

O erro mais inteligente é aquele que só você percebe que errou, e se corrige sozinho. Ninguém precisa saber de suas fraquezas, de seus erros, contudo eles não precisam ser omitidos se descobertos, afinal se você errou é porque uma coisa não faltou, coragem.

Tente, erre, acerte da próxima vez, você não é burro por errar nem sábio por cometer poucos erros, um grande guerreiro sabe que o erro só acontece com quem tenta, e quem não erra muito, acerta menos ainda. Só não estagne nele, faça dele uma transição, entre uma atitude errada a uma correta, se o seu erro um dia virar acerto é válido, se ele persistir errado, prepare-se para conviver com ele para o resto de sua vida.

Gaya Lux

DESMASCARANDO O EGO

Imagem

Quanto mais buscamos o autoconhecimento, mais nos tornamos conscientes das manipulações do ego e dos segredos que ele tranca a sete chaves, nos recônditos mais ocultos de nosso inconsciente. Ao descobrirmos muito de nossas negatividades, nosso lado sombrio e, se aceitamos essa realidade interna, somos capazes de conduzir a negatividade ao equilíbrio. Em determinado momento, quando o ego já se sente mais confortável e com mais poder, ele faz de tudo para nos fazer acreditar que não temos mais nada para encontrar de obscuro dentro de nós, ele quer que pensemos que “já está bom assim”, que tudo o que já descobrirmos a nosso respeito, é tudo de que precisamos.

Enquanto acessamos nossa negatividade, aceitando-a, nossos potenciais e dons naturais que estão aprisionados por trás dela, são liberados. Quanto mais potenciais são liberados, mais o ego se torna satisfeito e poderoso, pois começa a tomar posse desses dons, que pertencem ao nosso Eu Superior, usando-os em seu benefício, para criar uma vida melhor, usando os dons para manipular ainda mais o mundo. O ego não quer que continuemos na jornada interior, pois teme que venhamos a descobrir os recursos sombrios que ele utiliza e que tiremos dele os poderes que, a muito custo, conseguiu assumir. Ele quer vida boa e sem esforços e não quer ser desmascarado.

Cientes disso, devemos buscar meios para irmos além das barreiras do ego. Ele entrará em pânico e fará de tudo para nos interditar. Precisaremos perseverar e prosseguir, a despeito de toda e qualquer dificuldade que o ego venha a manifestar.

Chegaremos a verdades ocultas que não nos agradarão, descobriremos que por trás de nossa condição de vítima, de nosso masoquismo, e de toda a nossa história de dor e sofrimento, lá nas profundezas de nosso inconsciente, existe uma parte de nós que é altamente perigosa, manipuladora, destrutiva, maquiavélica e sádica. No momento desta constatação, ficaremos chocados. Se estamos acostumados ao mundo do inconsciente e se o aceitamos, não nos impressionaremos tanto, mas se fugimos à nossa realidade inferior, negando-a, o impacto será maior.

Enfim, se chegarmos ao ponto da constatação, após o choque inicial, deveremos olhar para essa realidade de forma natural, pois isso faz parte da realidade humana. Para aqueles que disserem que não sabem do que estou falando ou que estejam achando isto um absurdo, aconselho que se perguntem do que estão fugindo e por que estão negando suas raízes negativas. Com humildade no coração e honestidade, asseguro que todos encontrarão essas condições dentro de si, assim como asseguro que isso não é nada abominável, mas sim, algo natural e simples de se lidar. Viver lutando contra si mesmo, na tentativa de provar ao mundo a sua “santidade”, é um ato extremamente destrutivo. A constatação e a aceitação de nosso lado mais sombrio é o caminho que leva ao equilíbrio verdadeiro.

Deveremos apenas nos observar, para que possamos conhecer ainda mais acerca dessa nossa face que estava oculta. Começaremos a perceber o quanto utilizamos esse nosso lado, de forma velada, durante toda a nossa vida, constataremos que enquanto nos sentíamos vítimas nas mãos dos outros, esse nosso lado sombrio estava controlando e manipulando tudo, escondendo-se por trás do vitimismo, para ter poder sobre todos.

Quanto mais nos propusermos a esse conhecimento tão profundo de nossa realidade oculta, mais conseguiremos lidar com ela. Com auto-acolhimento e auto-aceitação, seremos capazes de “olhar para essa face negativa” e dizer a ela que entendemos que, por um tempo em nossa vida, ela foi até adequada enquanto acreditávamos que precisávamos nos “defender e salvar” contra os males do mundo, mas que, a partir de agora, isso não será mais necessário. Antes, ela tinha total liberdade para agir, de forma velada, mas agora que a conhecemos, somos capazes de interditá-la em seus excessos. O caminho adequado é o da amorosidade, sem autojulgamento ou autocrítica.

Se conseguirmos imaginar essa parte de nós como uma “personalidade à parte”, poderemos lidar com ela de forma ainda mais eficaz, e iremos conduzi-la de forma amorosa, firme, determinada e nutridora, para educá-la e colocá-la em equilíbrio. Imagine que você encontrou a parte de si que é controladora, dominadora, tirana, vingativa e cruel, que quer que tudo saia de acordo com sua vontade e que faz de tudo para obter o que deseja. Agora, imagine essa “face” dentro dessa sub-personalidade. Coloque-a “para fora de você”, olhando-a nos olhos, e comece a conversar com ela. Pergunte quais são suas reais necessidades, pergunte por qual motivo ela se tornou assim, questione-a de acordo com o que seu coração lhe guiar. Faça isso com vontade, crie um momento para isso e conseguirá ouvir essa parte de você se comunicando e lhe dizendo coisas que você não poderia imaginar que viesse de dentro de si; ouvirá coisas que farão muito sentido, pois irá perceber que, de uma forma não evidente, tudo que essa parte diz condiz com muitos dos pensamentos que você não gosta de ter.

Diante de toda e qualquer constatação a respeito das necessidades veladas dessa sua face destrutiva, da descoberta do quanto ela prejudicou aos demais e a você mesmo, e do quanto ela tem de planos de vingança e de sede de poder, não se preocupe, mantenha-se tranqüilo, mesmo que esteja abismado com tudo o que está ouvindo, deseje apenas ser o lado que escuta, de forma acolhedora e sem julgamentos. Essa sua face precisa se sentir confortável e segura para se confessar e isso tem que ser verdadeiro em você, pois se ela sentir que você está fingindo que a compreende e a aceita, para depois de sua confissão você castigá-la ou aprisioná-la, por medo do que ela possa fazer, com certeza ela não irá confiar em você e não irá declarar toda a sua verdade.

Se você for firme e corajoso para confrontar a sua pior realidade interna (uma das), apesar do choque que isso traz, ao mesmo tempo, você irá sentir um alívio e uma tranqüilidade que irão acolher sua alma. Isto ocorre, porque você foi honesto consigo mesmo e teve a força de entrar em contato com uma parte da sua realidade humana, que vive na dualidade. Você, então, sentirá que “está tudo certo em conter essa destrutividade”, que não há mal nisso, mas apenas uma realidade humana em manifestação, em busca do equilíbrio.

Diante desta atitude, você sentirá com todo o seu coração, um desejo intenso de educar essa parte de você, de forma a reconduzi-la ao equilíbrio e à luz. Esta parte negativa, em sua essência, é pura LUZ que, ao mergulhar na dualidade, negativou-se e se transformou nessa face destrutiva. Assim, acolhendo-a e aceitando-a, você poderá conhecê-la ainda mais, resgatando seu poder pessoal, para encontrar no seu coração os recursos que carrega para se equilibrar e se iluminar em todos os seus aspectos.

Por: Teresa Cristina Pascotto 

Saiba mais: https://omundodegaya.wordpress.com/misttico/

ENCARE O SEU MEDO

São tantos os medos que temos de superar para penetrar no estado de consciência unificado. Medos não faltam, mas no fundo é um medo só, o medo da anulação do ego, o medo da perda de identidade conforme o ponto de vista de cada um. O homem não se anula abrindo-se ao amor de Deus, não se anula por servir, por dar o melhor de si aos outros. O homem não se anula de maneira alguma ao penetrar na Luz. Temos que deixar o medo de lado e tentar compreendê-lo como uma simples negação do amor e da unidade com Deus.

Como superar o medo? É o que todos querem saber. Enfrentando-o. Tudo o que se opõe, tudo o que parece intransponível precisa ser enfrentado. Esse é o movimento mais difícil, encarar o medo. Não fugir dele, não o evitar, encará-lo de frente e quando isso for feito, teremos dado o passo mais difícil. Quando olharmos para ele estaremos nos abrindo para a ajuda do Divino, porque encará-lo é dizer eu não quero o medo, quero o amor que esse medo me impede de sentir. Seguindo em frente com fé receberemos toda a ajuda de que precisamos.

O mundo tridimensional é tão ilusório. Temos que pensar que os medos são todos inventados, são todos criados por nós mesmos e, da mesma forma como são criados, podem ser transcendidos. Medo de que o dinheiro falte, medo de mergulhar num poço escuro, medo do futuro, da mudança, do desconhecido: todos esses medos partem do princípio de que há algo na realidade presente de que “eu não quero abrir mão; isso pode até me trazer sofrimento, angústias e desconfortos, mas é o que eu conheço e tenho medo de abrir mão dele.” Esse é o nosso raciocínio.

Devemos perceber  que a causa do medo é não querer abrir mão de algo. O medo maior, que há por trás de todos os outros, é o medo do desconhecido. Mas no conhecido não há crescimento. A vida é movimento e evolução sempre, sempre estaremos precisando abrir-nos para outras realidades, para outras experiências, e o medo aí só vai limitar e nos atrasar. Medo paralisa, medo estagna, é a mais limitadora das emoções. Temos que reconhecer o atraso que ele provoca nas nossas vidas. Nos dispondo a enfrentá-lo receberemos uma ajuda grandiosa da espiritualidade que nos apontará o caminho, colocará um tapete vermelho à nossa frente para que possamos seguir.

Muitos também têm medo de aceitar sua missão espiritual. Têm medo de que será preciso abrir mão de uma série de coisas de que gostem neste mundo material, medo de que sua vida mude muito e não gostem do que ela vai se tornar. Nada acontece à revelia do  coração e da vontade. Se isso está se apresentando, é porque em algum nível de nossa consciência multidimensional  assim o desejamos. A mente consciente e concreta  pode não perceber isso agora, pode não aceitar com facilidade, mas nada do que está vindo em nossas vidas vem sem nossa aceitação, vem sem nossa participação.

Devemos reconhecer que foi feita uma escolha em algum momento, reconhecer que houve a apresentação para o serviço em algum momento da nossa vida. Tudo está sendo acelerado e o momento se apresenta, é preciso nos mover na direção da Luz. Enfrentar a barreira do medo. Nesse nível de consciência em que fizemos nossas escolhas sinceras e devotadas, sabemos que tudo o que existe aqui nesse plano é ilusório. É ilusória a necessidade de dinheiro, ou melhor, a falta dele que todos tanto temem. É ilusório o medo da perda. Muito ao contrário, não perdemos nada, e sim seremos muito acrescentados com tudo o que vier a acontecer em nossas vidas.

Como enfrentar esse medo é coisa que muitos imaginam não saber fazer, mas desde que nos coloquemos diante dele, aceitando e reconhecendo, teremos feito tudo o que é preciso fazer.  E quando tivermos cruzado o túnel e chegado do outro lado, veremos como era ilusório o medo. Diremos a nós mesmos, mas era só isso, era isso que me prendia?.

Não devemos temer. Devemos ter a certeza de que estamos amparados. Por mais que possamos sentir  a dificuldade de transcender o momento, temos que compreender que é a única maneira de crescer e abandonar muitos dos conceitos errôneos que  nos alimentaram por tanto tempo. Tudo o que temos a fazer é  dar o primeiro passo, e então seremos tão inundados e amparados pela Luz que nos esqueceremos da razão do próprio medo. Mas para que isso aconteça é preciso tentar, é preciso perder o medo de se ter medo.

“Nossos medos são fruto do mundo de ilusões em que vivemos. Quando olhado de frente, o medo deixa de existir”.

 Gaya Lux

Saiba mais: https://omundodegaya.wordpress.com/misttico/