OGUM E NANÃ – ORIXÁS REGENTES DE 2019 – O ANO DA SENTENÇA

elementos ogum e nana

Caminhamos para o final do ano de 2018, ano esse que foi regido por Pai Xangô e Mãe Iansã, e pudemos observar que o ano começou um pouco mais lento, porém a partir da metade do ano o tempo nos pareceu ter dado uma acelerada, fazendo assim com que mal percebêssemos que já está quase se findando e se findando com muitos acontecimentos, bons e ruins.

Após uma breve reflexão, podemos perceber o quanto buscamos estar na presença de Deus, nosso Pai Maior e assim tentar trazer mais evolução a nossa caminhada. Será que conseguimos?

Em 2018 passamos vários momentos agradáveis, porém passamos por muitos dias desoladores. Tivemos muitas lições dadas, algumas que podemos compreender e outras que nem entendemos como lição.

E assim o ano de 2018 está quase de partida.

Sonhamos com um ano melhor, desejamos uma nova era, um caminho novo e mais agradável, desejamos novos ensinamentos para buscarmos novos rumos.

Temos a compreensão de que a cada ano que nasce, nasce em nós novas esperanças, mais elevação a nossa fé, mais crença na humanidade, e assim tentamos com tudo isso sonhar mais alto e ter em nossas mãos a possibilidade nova de buscarmos a tão desejada elevação espiritual.

No ano de 2019 o Orixá regente será Pai Ogum, que regerá intensamente por todo ano, tendo como companhia, a partir do mês de junho, a linda e esplendorosa Mãe Nanã Buruquê.

Resumindo e respondendo a pergunta, mais simplesmente, ao ser perguntado qual Orixá vai reger o ano de 2019, podemos certamente dizer Pai Ogum, que será o Orixá dominante desse ano.

O ano de 2019 será um ano de muitas batalhas, lutas intensas e por ser Pai Ogum um Orixá guerreiro, que tem ligação extrema com a guerra e a paz, simbolizando a vitória e todas as conquistas, teremos um ano muito competitivo e só chegará a seu objetivo aquele que realmente lutar, que buscar seu caminho, que tiver atitude par vencer.

Ogum é um grande guerreiro, senhor soberano da Execução da Lei Espiritual, e assim será o ano de 2019, o ano de executar a lei, o ano de cobrar daqueles que erraram a busca do acerto.

2019 será um ano um tanto conservador, mas devemos nos manter na racionalidade, pois o ano nos trará uma impulsividade extrema e assim sendo, devemos ficar afastados de mazelas desnecessárias, evitar a todo custo confusões ou brigas. A humanidade estará um tanto menos tolerante com tudo e com todos.

O ano de 2019 será bem rápido, assim como o segundo semestre de 2018, teremos dias nos parecendo mais curtos e com boa intensidade de frio.

Com a energização de Pai Ogum no ano que vai entrar, devemos evitar agir antes de pensar, principalmente para os filhos desse Orixá, pois 2019 não será um ano muito tranquilo para esses filhos.

Teremos dias intensos, barreiras e obstáculos que deveremos vencer acima de tudo. Teremos fatos em nossa vida que não teremos como adiar, deveremos encarar seja como for, para assim vencer a maratona que será o ano de 2019.

Para os que tiverem decisões a tomar, tome-as, sem pestanejar, pois é isso que Ogum espera de nós: força e atitude.

Devemos nos manter em linha reta, devemos tentar nos colocar longe e fora da ganância e da cobiça que o mundo materialista nos mostra a todo o momento, nos despertar e nos focar nas coisas que acreditamos ser mais importantes para nossa vida e nossa evolução.

Como sabemos, Ogum é um poderoso Orixá, senhor do ferro e do fogo, defensor da lei e da ordem e em 2019 Pai Ogum dará o segmento ao que Xangô começou em 2018, ou seja, a justiça sendo feita, Xangô julga e Ogum executa a sentença, assim será. Para aqueles que foram julgados por Xangô, serão cobrados agora por Ogum, portanto aquele que buscou a paz em 2018 terá a paz em 2019, porém para aqueles que ignoraram a justiça no ano de Xangô pagarão bem caro agora no ano de Ogum.

Teremos em 2019 muitos avanços na tecnologia, muitas descobertas serão feitas, e isso em todas as áreas, o conhecimento estará em alta, e para aquele que buscar o caminho da informação, dos estudos, será agraciado com as bênçãos de Ogum, podendo crescer tanto pessoalmente, quanto socialmente, e para isso devemos batalhar junto ao Orixá guerreiro, e assim sendo, certamente será vitorioso na busca do bem.

Ogum é um justiceiro nato e ele fará muitas verdades aparecerem, os hipócritas serão desmascarados, tanto no âmbito pessoal, profissional e principalmente político.

O ano de Ogum também é muito propício para aberturas de negócios próprios, para busca de novos caminhos, para realizações de sonhos, porém somente para aquelas pessoas que demonstram plena atitude, pois para aqueles que não demonstrarem, o ano vai ser muito difícil, vai ser como se remar contra a maré.

A grande dica na verdade dada por nossas Entidades de Luz é evitar as discórdias, demonstrar atitude, cuidado nas palavras ditas, evitar a intolerância, pois em 2019 as pessoas estarão em autodefesa, buscando cada uma a sua própria visão sobre os fatos do cotidiano, fazendo assim com que a intolerância cresça, dando abertura a perigosos obsessores, que buscam se energizar com as falhas de caráter de todos, além dos vícios de sentimento, entre esses vícios, o principal para o ano de 2019: o orgulho.

A busca de poder dentro da humanidade poderá trazer grandes batalhas e isso será um grande diferencial desse ano.

Foi recomendado precaução com os gastos desnecessários, pois para aquele que não se preveniu no ano de Xangô, poderá ter um ano de Ogum com alguma dificuldade na área de gastos pessoais.

Foi dito que em 2019 teremos muitos desencarnes por ferro retorcido, ou seja, muitos acidentes automobilísticos, aéreos, ou por qualquer tipo de meio de transporte que tenha a ligação do ferro e do fogo.

O ano de 2019, tendo também a influência da vovozinha Nanã Buruquê no segundo semestre, será um ano de reflexão, de cuidados com os familiares, de busca com o próprio ser.

A partir do meio do ano teremos mais serenidade, mais oportunidade para voltarmos atrás em algo que possamos ter errado, seremos mais tolerantes com todos e para aquele que se dedicar a fazer o bem, certamente receberá o bem de uma forma mais intensa.

Contudo, estaremos menos propícios a conversas que não tem muito fundamento, amizades que não se dedicam intensamente, a vida social mais agitada, teremos uma grande vontade de estar em lugares calmos e tranquilos, porém quando não conseguimos esse feito, ficaremos com o humor abalado, podendo até mesmo ficarmos arredios a tudo e a todos.

Na junção de Ogum com Nanã, iremos da guerra a paz no mesmo instante, e assim devemos ter muito cuidado com o que poderemos falar, agir, ou pensar, pois poderemos perder o foco das coisas, deixar a adrenalina da busca de objetivos baixar e assim perdermos muitas coisas, no qual não teremos condições de fazer retornar para o caminho devido.

Devemos ficar atentos aos fenômenos da Natureza, fenômenos como enchentes, tufões e terremotos de grandes proporções. A Natureza está acuada, e Ogum sendo Orixá guerreiro estará em combate para auxiliar que ela se defenda de tudo e de todos.

2019 será um ano como dito já, de estabelecermos objetivos, e partir para cima desses objetivos, pois só assim conseguiremos terminar o ano de uma forma agradável, a nós, a quem nos cercam, e ao mundo que pertencemos.

Em 2019 devemos evitar as mazelas, as guerras desnecessárias, os vícios que tanto nos fazem mal, a ociosidade, a falta de objetivo, o orgulho, os maus sentimentos, enfim tudo que vai em desacordo com a força de Ogum e a serenidade de Nanã Buruquê.

Que Deus abençoe nossa caminhada nesse novo ano de muitas lutas, e com muita dedicação, teremos muitas conquistas.

Esperamos que todos os amigos entrem com muita fé nas vitórias pessoais nesse próximo ano.

Que Pai Ogum e a doce Mãe Nanã Buruquê nos deem caminhos de luz nessa nova jornada, e que todos os Orixás e todas as Entidades de Luz nos protejam por todo ano de 2019.

Patacori Ogum!

Saluba Nanã Buruquê!

Que assim seja!

Carlos de Ogum

Via: http://umbandayorima.blogspot.com

26 Julho – Dia do Orixá Nanã Buruquê

nanã

NANÃ

Rege sobre a maturidade e seu campo preferencial de atuação é o racional dos seres. Atua decantando os seres emocionados e preparando-os para uma nova “vida”, já mais equilibrada.

A orixá Nanã Buruquê rege uma dimensão formada por dois elementos, que são: terra e água. Ela é de natureza cósmica pois seu campo preferencial de atuação é o emocional dos seres que, quando recebem suas irradiações, aquietam-se, chegando até a terem suas evoluções paralisadas. E assim permanecem até que tenham passado por uma decantação completa de seus vícios e desequilíbrios mentais. Nanã forma com Obaluaiyê a sexta linha de Umbanda, que é a linha da Evolução. E enquanto ele atua na passagem do plano espiritual para o material (encarnação), ela atua na decantação emocional e no adormecimento do espírito que irá encarnar. Saibam que os orixás Obá e Omulu são regidos por magnetismos “terra pura”, enquanto Nanã e Obaluaiyê são regidos por magnetismos mistos “terra-água”. Obaluaiyê absorve essência telúrica e irradia energia elemental telúrica, mas também absorve energia elemental aquática, fraciona-a em essência aquática e a mistura à sua irradiação elemental telúrica, que se torna “úmida”. Já Nanã, atua de forma inversa: seu magnetismo absorve essência aquática e a irradia como energia elemental aquática; absorve o elemento terra e, após fracioná-lo em essência, irradia-o junto com sua energia aquática.

Estes dois orixás são únicos, pois atuam em pólos opostos de uma mesma linha de forças e, com processos inversos, regem a evolução dos seres. Enquanto Nanã decanta e adormece o espírito que irá reencarnar, Obaluaiyê o envolve em uma irradiação especial, que reduz o corpo energético, já adormecido, até o tamanho do feto já formado dentro do útero materno onde está sendo gerado .

Este mistério divino que reduz o espírito ao tamanho do corpo carnal, ao qual já está ligado desde que ocorreu a fecundação do óvulo pelo sêmen, é regido por nosso amado pai Obaluaiyê, que é o “Senhor das Passagens” de um plano para outro.

Já nossa amada mãe Nanã, envolve o espírito que irá reencarnar em uma irradiação única, que dilui todos os acúmulos energéticos, assim como adormece sua memória, preparando-o para uma nova vida na carne, onde não se lembrará de nada do que já vivenciou. É por isso que Nanã é associada à senilidade, à velhice, que é quando a pessoa começa a se esquecer de muitas coisas que vivenciou na sua vida carnal. Portanto, um dos campos de atuação de Nanã é a “memória” dos seres. E, se Oxóssi aguça o raciocínio, ela adormece os conhecimentos do espírito para que eles não interfiram com o destino traçado para toda uma encarnação.

Em outra linha da vida, ela é encontrada na menopausa. No inicio desta linha está Oxum estimulando a sexualidade feminina; no meio está Yemanjá, estimulando a maternidade; e no fim está Nanã, paralisando tanto a sexualidade quanto a geração de filhos. Nas “linhas da vida”, encontramos os orixás atuando através dos sentidos e das energias. E cada um rege uma etapa da vida dos seres.

Logo, quem quiser ser categórico sobre um orixá, tome cuidado com o que afirmar, porque onde um de seus aspectos se mostra, outros estão ocultos. E o que está visível nem sempre é o principal aspecto em uma linha da vida. Saibam que Nanã em seus aspectos positivos forma pares com todos os outros treze orixás, mas sem nunca perder suas qualidades “água-terra”. Já em seus aspectos negativos, bem, como a Umbanda não lida com eles, que os comente quem lidar, certo?

Via: http://colegiodeumbanda.com.br