O UNIVERSO E A CRIAÇÃO

UNIVERSO

Tudo se cria em Três raios e se organiza em Sete centros

O três é o número da Criação;
Átomo – positivo, negativo, neutro.
Célula – membrana, citoplasma, núcleo.
Pai, mãe, filho – toda criação.
Graves, médios e agudos – se organizam em sete notas musicais.
As três cores primárias – amarelo, azul e vermelho, são a base das sete cores espectrais.
Dia – manhã, tarde e noite, se organizam na semana.
Homem – espiritual, mental e físico, se organiza nos sete corpos, físico, vital, astral, mental, Vontade, Consciência e o Ser.
Pensamento, sentimento e comportamento, se organizam nos sete chakras.
Do mesmo modo, as três fúrias clássicas da traição – desejo, dúvida e malevolência, dão origem aos sete pecados capitais, luxúria, ira, orgulho, inveja, cobiça, preguiça e gula.
Pensamento – profusão de idéias, em sua maioria, ligadas ao desejo, aos egos.
Sentimento – relacionado às idéias, em realizar os pensamentos, os desejos.
Comportamento – influenciado diretamente pelos sentimentos, na forma de agir, expressar, falar, em desequilibrio tendem a realizar os desejos.
Tudo que pensamos, sentimos e tudo que sentimos, fazemos.
Se tenho pensamentos negativos, terei sentimentos negativos.
Se tenho sentimentos negativos terei comportamentos negativos.
Se tenho pensamentos positivos, terei sentimentos positivos.
Se tenho sentimentos positivos, terei comportamentos positivos.
A base para uma vida consciente é uma mente equilibrada. Leituras, filmes, músicas, diálogos, ambientes, interferem no equilibrio ou desequilibrio da mente.
Leituras, filmes, músicas, diálogos e ambientes densos geram pensamentos densos. E consequentemente, desequilibrio.
Leituras, filmes, músicas, diálogos e ambientes sutis, como contato com a natureza, ajudam a ter pensamentos positivos. E consequentemente mais equilibrio.


Via:  Desligando a Matrix

A MAGIA NÃO EXISTE (?)

Imagem

Certo dia ao passar por um lugar ou uma pessoa, sentiu um arrepio na nuca, e algo dentro de você dizia que havia algo ali, mas você ignorou. Esse sentimento era sua mente tentando mostrar uma coisa que você não é capaz de perceber normalmente, mostrar que o mundo é bem maior do que conseguimos perceber com um simples olhar. Essa consciência que tenta abrir seus olhos é o seu “Avatar”. Mas você ignorou, talvez não estivesse pronto para despertar. Mas quem está?
Seres sobrenaturais? Magia? Isto não existe! – Dizem todos…
Cada pessoa possui em si um “Avatar” que na maioria das vezes permanece adormecido. A pessoa ignora assim, que não consegue ver perceber nem entender o mundo por completo. Elas conhecem o mundo, mas ignoram o Mundo.
Porém, às vezes, somente às vezes, uma pessoa desperta seu “Avatar” e querendo ou não, entende que há algo mais do que aprendeu que existe. Ela sente. Ela sabe. E isso não implica em apenas ser espectador, mas em poder fazer alguma coisa com a realidade. Seres sobrenaturais? Magia? Isto não existe!
É com isso que um mago luta: a descrença. A magia permeia o mundo, muitas vezes está na nossa frente, mas normalmente é ignorada. Quando um mago desperta ele está em condições de vê-la e de tocá-la. A magia advém da vontade, da criatividade e principalmente da crença. E é por isso que está cada vez mais difícil de realizar magia: a maioria da humanidade está escondida por detrás da comodidade de não ter mais de pensar por si, ser criativo ou de se envolver com o mágico.
A magia é realizada através da vontade que é focalizada pela crença, e acredite, existem muitas crenças. Os magos se dividem em Tradições que se definem por seu conjunto de crenças e/ou filosofias.
Mas não pense, que depois de despertar e entender a magia, você vai sair por ai soltando bolas de fogo. Isto não é tão fácil. A magia tem um preço: quando você deforma demais a realidade ela reage e te ataca esse é o paradoxo: ação e reação.
Bem agora é com você que lê este texto. A escolha é sua. Bem… nem tanto, duvido que você ou qualquer outro conseguiria viver tapando os olhos, sentindo dentro de si, aquele desejo por conhecimento e magia. Você despertou, isso não passa ou vai embora se você ignorar. Você pode ir embora, ela está ai, sempre esteve e sempre estará, ao alcance de suas mãos.
Você também pode ser um Mago em Ascensão, pode ser uma destas pessoas que, por sorte ou azar, despertou e descobriu que pode se tornar algo muito maior do que a maioria das pessoas são.
Guerreiro da Ascensão? Explorador do desconhecido? Usuário da magia para seus próprios fins, altruístas ou não? Você escolhe…”

Por: Felipe Le Fay

Saiba maishttps://omundodegaya.wordpress.com/misttico/

SINCRONICIDADE – MÁGICAS COINCIDÊNCIAS DA VIDA

Imagem

Quem nunca se surpreendeu com as misteriosas coincidências que acabaram mudando o rumo de sua vida?

O que estaria por trás dessas insistentes repetições? As respostas para explicar a sincronicidade são tão fascinantes quanto as perguntas…

Quando a sincronicidade acontece, é sempre uma surpresa. Como aquela inacreditável seqüência pode se desencadear diante dos nossos olhos, sem nenhuma explicação? O que ela significa? Porque acontece? Que mecanismos ocultos acionariam esse processo?

Cada vez mais pessoas estão se conscientizando da importância da sincronicidade e já pautam suas vidas pelas indicações encobertas pelas coincidências. Isso é possível quando estamos sincronizados com a ordem celeste  – enfim, quando nossos passos desenham a vontade de Deus. A sincronicidade é a linguagem do divino para orientar nossa vida. E o divino atua tanto dentro quanto fora de nós.

Precisamos cada vez mais nos tornar sensíveis para perceber a sincronicidade pontuando o nosso destino.

A sincronicidade abre um caminho para você escutar a si mesmo e ativa sua intuição. O resto é com você. Às vezes precisamos de muita coragem para abandonar estruturas que construímos durante a vida e seguir os sinais que nos indicam novos caminhos.

A força de mente

Quem primeiro reconheceu que os eventos sincrônicos, ou coincidências significativas, tinham um sentido maior e que se relacionavam com a nossa psique (mente) foi o psicólogo suíço (1875-1961) Carl Gustav Jung.

A repetição é um dos mecanismos básicos da nossa psique. As coisas se repetem, se repetem  – em sonhos, símbolos ou acontecimentos – até que finalmente, a nossa compreensão sobre algo é despertada.

Quando temos um problema, ele volta inúmeras vezes a nossos pensamentos, como se fosse um disco arranhado. Mas quando finalmente compreendemos o que temos de compreender, cessa a repetição. Revela-se aquilo que estava sendo expresso por símbolos, entendemos a situação e integramos seu conteúdo.

Para compreender esse sentido, talvez seja preciso um árduo trabalho: pesquisar os significados dos símbolos, prestar atenção quando eles ocorrem, refletir a respeito. Mas a compreensão também pode surgir espontaneamente, sem nenhum raciocínio lógico. A esse tipo de compreensão instantânea Jung dava o nome de insight.

Jung afirmava que temos quatro funções básicas:razão, emoção, sensação e intuição. No nosso ser, geralmente uma delas é predominante. Mas quando trabalhamos internamente na direção do equilíbrio, uma nova função é acrescentada: a sincronicidade.

Fios de uma trama maior

“O universo tem uma lei, uma harmonia, que às vezes desconhecemos. Choramos quando algo muda e foge de nossas mãos. Não deixamos as mudanças ocorrerem, seguramos a vida.

Quando finalmente aceitamos que o desenho da nossa vida não nos pertence e que existe no Universo uma trama de fios mais grandiosa e complexa, tudo muda… Ficamos mais atentos aos sinais que nos mostram os caminhos da ação correta, a ação que aceita e se entrelaça amorosamente com os desígnios divinos.

Enfim, nos submetemos _ não somos mais um ego que tenta controlar tudo a qualquer custo. Finalmente cedemos, e mudamos.”

Colaboração: Doucy Douek – Terapeuta Transpessoal

Saiba maishttps://omundodegaya.wordpress.com/misthico/